Follow by Email

domingo, 20 de julho de 2014

Humildade

“Humildade é a capacidade se perceber a Verdade sobre si mesmo, sem ilusões, sem esconder o que nos envergonha. A humildade é a porta da Revelação, pela qual nossa Essência flui para nós, e nós fluímos para ela, na coagulação. E na humildade que ocorre a diluição, a separação daquilo que pensamos ser( idealizações) do que realmente somos, a sublimação dos medos, a integração dos potenciais latentes como potencias... Na humildade ocorre a aceitação, o perdão, cessam se os autojulgamentos, as culpas e a punição, as vinganças, a emissão de nosso pior... Apenas na humildade, se vai ao espaço consciencial de Ágape, onde há a fusão da criatura com seu mais sagrado... Na visita da Verdade de quem somos, deixa de haver pessoas acima e abaixo de nós, o jogo domínio-submissão, a necessidade de se firmar no mundo exterior, ou interior deixa de existir... Quando a Verdade se revela, o passado perde força sobre nós, passa a ser apenas referencial, onde podemos faturar os aprendizados e liberar as emoções anexas. O futuro não mais preocupa- temos toda a eternidade em nós, temos plena confiança de que seremos capazes de lidar com o que se apresentar. A revelação da Presença, plena, sabia, purificadora, regeneradora, que é o Todo em fluxo com a vida. Onde o respeito à vida e as pessoas nasce da empatia, da capacidade de se colocar no lugar do outro, ser solidário, sem se misturar ... Se manter imperturbável, não por ser frio, mas por reconhecer a verdade própria e do outro, ou seja por amor, pois na lucidez mais pode fazer.... Aprendemos que devemos ser humildes, como sendo se colocar sempre em último lugar, mas na mente racional, declaramos que não temos mérito para nada... Ser o último dos homens não é se colocar como miserável, como vítima, rastejante, mendigo de migalhas de sobras alheias...esta é a distorção, que nos submete... Nos condicionaram a sempre nós firmarmos no outro, a valor nossa vida e realizações, pelo que fazemos ao outro, e nunca a nós mesmos.. Carregamos a cruz destinadas a outrem, mas nós negamos a portar a cruz que nós foi entregue pela vida para trabalharmos... A cada qual foi dada energia e recursos, para lidar com o seu caminhar, fazer de si uma semente, que brota , cresce, floresce e frutifica... Nenhuma planta pode fazer outra semente brotar, pode no máximo auxilia-la, com seus próprios recursos, lhe dando proteção e nutrição, mas não realizar o trabalho por ela.. Mas sim, podemos e devemos fazer o trabalho que nos cabe, em nós, pela lei da evolução pelo trabalho, que é saber colocar a energia em movimento funcional... Humildade é perceber que não podemos interferir no Livre arbítrio alheio, de querer afastar as provas deste, colocadas pela vida para desenvolve-lo. Tudo na vida tem a função de despertar o Ser, de fazê-lo ativar seus potenciais, de desenvolver habilidades, e a doença e sintomas são os Sistemas de Homeostase Internos e espirituais chamando a atenção para os desvios que realizamos no caminho... Humildade é perceber o quando estamos longe de nosso caminho, e buscar curar a nós mesmos, a aceitar a Revelação da Verdade sobre nós, olho no olho... Um Ser adoecido não tem força para curar a ninguém, porque vibra caos... Um Ser fragmentado, cheio de ilusões, de crenças distorcidas, de condicionamentos não funcionais, não consegue irradiar ordem, e ativar no outro a harmonização... Um Ser egoico, centrado em seu umbigo, na vida material, acumulador de bens, pois crê que para manter seu poder, deve ter...que o status é sinônimo de sanidade... Diz o ditado: Queres conhecer o caráter de um Homem, lhe dê Poder. Ao Ser Iludido, a criatura, o poder irá corromper...e quanto mais poder receber sobre o outro, mais se corromperá...irá colocar em ação o seu pior, será possuído por seu lado mais trevoso... Porém o humilde, se receber algum poder, será a contragosto, mas o aceitará como desafio, e oportunidade de servir...ser possuído pelo seu lado luminosos...e tudo fluirá de forma a todos evoluírem... Usará este poder para acolher, para multiplicar-se no outro, ajudando-o a se desenvolver, servirá de exemplo, nunca dará uma tarefa sem ter a certeza que a pessoa a quem destina a mesma, tenha todos os recursos para lidar com a mesma, estará disponível para sentar junto , demonstrando e capacitando a pessoa a realiza-la, estimulando sua confiança e habilidades , preparando-o para multiplicar... Tanto nós misturamos com modelos, com exemplos, incorporamos crenças e comportamentos do meio, passamos a reproduzi-los em nós, que para encarar a verdade sobre quem somos, é dolorosa... Exige abrir mão de todas estratégias de manipulação desenvolvidas para obter do outro o suprimento de nossas necessidades, onde fomos condicionados a nós centrar sempre no Outro. Este é o maior problema do Ser Humano, se centrou tanto no outro, no mundo, que não sabe mais se centrar em si... Na busca da condição de autocentramento, o faz pelos instintos primitivos, pelo medo da falta, pelo impulso acumulativo, pela falta de fé em si mesmo, ou seja se torna egoico, cai na distorção do Ser... Fica na periferia de si mesmo, se misturando com o meio, fácil de ser capturada por energias externas, como é o elétron de camada mais externa de um átomo.... Mas se , na humildade, busca energia para se centrar, pula para as camadas mais internas, se aproxima do núcleo, fica cada vez mais estável, mais imperturbável... O caminho para o centro traz, paz, ordem, harmonia....mas não pode ser percorrido sem humildade...sem buscar se firmar em si mesmo, em primeiro lugar... O orgulho, e seus filhos, a pretensão, vaidade, inveja, frustação, autopunição, idealizações, a busca do domínio do outro, o estabelecimentos de relações por interesses de aceitação, de modelos, são antagônicos a humildade, a revelação do Ser...são estados, modos de ser e agir negativantes, e quanto mais negativado, mais o núcleo, o Ser irá repelir sua presença, jogando este “elétron” para uma orbita mais afastada de si, se não libera-la, por estar nociva... Quem vive no orgulho, ferramenta das ilusões, armadura de defesa do ego inferior, da persona, está centrado no externo, busca se impor ao meio, pois se sente oprimido por ele ... Vive em guerra com o mundo, pois a realidade o chama para o Si mesmo, e ele foge de Si....se aprofunda cada vez mais nas ilusões sobre si, gerando um círculo viciosos... E como quem se mantem na ilusão, obrigatoriamente, encarará a desilusão, a frustação, desequilíbrios, sintomas incômodos e doenças...cada vez mais se negativará... Pois seu orgulho lhe afastará cada vez mais de olhar para si mesmo....negará a tomar consciência que somos 100% responsáveis pelo que atraímos e manifestamos em nossa vida... Nasce então o papel de vítima, a negação do próprio poder par mudar de situação, a sensação de impotência, de ser injustiçado, quando na realidade rompemos com o fluxo da realidade, onde as leis maiores se manifestam através de nós... A cura está em se mudar o centro...em buscar o autocentramento no Ser que somos em Essência, desapegando de todas ilusões do que cremos ser nossa estória ...ou seja, na humildade... Como uma cebola, ir removendo as camadas mais externas do que manifestamos como sendo o “Eu”, uma a uma, no nosso ritmo, na nossa capacidade de lidar com o que aflora, na autoconsideração... Mas sempre, firme, em busca de nosso centro, de quem somos de Verdade, sem os véus da ilusão que construímos ...buscar a Presença, o miolo da cebola, seu cerne, onde a vida se manifesta.... As camadas mais externas, expostas ao meio, se ressecam, putrefazem-se pelo toque do oxigênio, a morte se apresenta a elas...mas no cerne, ele permanece viva, com vitalidade... Quando se desconecta de sua fonte de vitalidade, é arrancada da conexão com a terra, ela sacrifica suas camadas mais externas para preservar o cerne... Assim é o corpo humano, se tem baixa energia, reserva a existente para suprir os órgãos principais...retira a energia da pele para dentro, diz a medicina.... Mas a realidade, o mundo que vivemos também é manifestação nossa, ou seja é a camada mais externa, as de nossas relações com pessoas, os caminhos que passam a não mais fluir, se fechando, é consequência desta falta de energia causada pelo afastamento da fonte de vida... Onde não há vida, onde as coisas não fluem, existe falta de vitalidade...a bioenergética não se mantem, por este recolhimento de energia para as áreas vitais... é a falta de autocentramento, a fonte em nós se revelando, se manifestando em nós e através de nós... No orgulho, na negação d Presença, entramos na putrefação, a negação da vida... Na humildade, permitimos que a Fonte assuma nossa manifestação, a persona passa a ser a ferramenta através da qual nossa essência se realiza... É a planta, que recebe da terra, do sol, do ambiente vitalidade, é nutrida e acolhida; recebe todos os recursos par evoluir e cumprir seu caminho. Não somos nós que empurramos a evolução, determinamos por onde ela irá ocorrer....é a evolução que nos empurra, gera o movimento, como princípio primordial que é... Acessamos a consciência de quem somos na Verdade e discernimos pelo nosso objetivo, mas nunca pelo caminho. O caminho cabe a revelação, a cada atitude, a cada escolha, a cada sentir ou pensar, impulso seguido ou reprimido, a cada fluxo que seguimos ou porta que fechamos, o caminho se modifica, mas sempre em direção ao propósito da Vida. O caminho nasce da Essência, que o modifica, replaneja, reajusta a cada movimento nosso, pois a cada ação irá corresponder uma reação....o Caminho é a própria Vida se manifestando...é uma onda portadora, que nos conduz, com a inteligência amorosa do Ser. Mas apenas o Humilde, permite ser conduzido pela vida, flui. Se adapta, se renova, renasce, como a Phoenix, se faz cinzas para ressurgir, se despe para viver, tal como o bebe que chega ao mundo, uma página em branco, que tudo pode vivenciar... O Orgulhoso, ou com orgulho ferido, defende com unhas e dentes sua estória, suas feridas, suas ilusões, se enrijece, nega ser conduzido pela vida e portanto nega a vida que quer se manifestar. E como o livre arbítrio do ser é respeitado, a vida entra em dormência, até o Ser despertar e pedir para ver a vida, se autocentrar, e enfrentar a verdade sobre si, humildemente... Como a humildade é a porta ao Ser, fomos condicionados à crer que ser humilde, falar sobre nossas dificuldades, demonstrar que temos limites, falta de habilidade em algumas áreas é se fragilizar, fugimos da humildade, como de uma doença terminal...pois é o que ela é, termina om nossas ilusões, nos tira do sonho aconchegante ( ou não) mas que decretamos ser nossa realidade...projeção deste sonho.. Um ego que está apegado com as ilusões, centrados no mundo, na aceitação e afeto do outro como fonte de nutrição, que necessita vampirizar para se alimentar e sobreviver, desconexo da fonte, viciado, poderá se tornar fragilizado na fase de desintoxicação , na mudança nutricional do alimento externo, da vitalidade absorvida do outro, para um alimento mais puro, o proveniente de nossa fonte interna. Por sito, a mudança de centro do outro, para o autocentramento , do orgulho para a humildade deve ser um processo lento e gradual.... Afinal ao sair da escuridão absoluta, até o brilho de uma vela nos incomoda...a iluminação, deve ter sua intensidade aumentada gradualmente... O Ego verdadeiro, deve ser fortalecido aos poucos, capacitado para lidar com as desilusões que teremos, de não sermos quem pensávamos ser, sem se fragilizar, sem cindir... Este fortalecimento, a mudança do ego iludido ao ego verdadeiro é um processo que exige dedicação, trabalho árduo sobre si mesmo, coragem de pedir para que o Ser em nós, nos conduza, nos fortaleça, e se revele para nós...Os momentos de catarse, de choro, de desespero passam a ser benvindos, damos a vazão a energia, liberamos a pressão, sem se fragmentar, conscientes que a dor faz parte do processo evolutivo, ela nos conduz da mentira para a Verdade. Porém se houver uma semente de orgulho ferido se defendendo a dor será amplificada...na humildade, na aceitação do processo, ela só levará o tempo necessário para que a estrutura condicionada liberar seu conteúdo e energia, que será utilizada em um novo estado de Ser... E em um mundo condicionado a dominar aquele que se mostra frágil, precisamos estar preparados para ao demostrar nossos limites, nossas inabilidade em alguns áreas, sermos oprimidos, buscarem romper com nosso autocentramento, nos fragmentar...mas apenas é a reação do ego iludido se defendendo de perceber que existe a possibilidade de se mostrar Humano, sem ser frágil, mas sim sendo muito forte e corajoso... Pois só é Humilde, autentico, sincero, aquele eu não tem mais medo de se fragmentar, de ser oprimido, pois já não mais se oprime, não se encolhe quando é pressionado pelo mundo, ou por alguém que busca submete-lo, porque já não mais se pressiona...Que possui integridade interior, proveniente do estado de autocentramento, e sabe lidar com as energias provenientes do meio, as transformando sempre a seu favor, e a favor do agressor, capaz de transmutar um ato involutivo, negativante, em um movimento evolutivo e positivante... Mas haverá um ponto, onde já existe o autocentramento, a consciência de si, não mental, mas a Presença, a capacidade de sair e voltar ao centro, de se mover sem perder o centramento em si.... Mas este estado é fugaz, porque não nos mantemos ligados nele 24 horas por dia.... é porque estamos condicionados em nos centrar no outros, e nos desligamos de nosso centro.... Precisamos, na humildade, sempre estarmos centrados em nós, na conexão com nossa fonte, canais de manifestação do Intransitorio em nós, e neste estado podermos nos mover para auxiliar, para nos multiplicar no outro...Para ajudar, sem abandonarmos nosso auto centramento, e sim em nós , fazendo nosso melhor, ativarmos ao outro a manifestação do Intransitorio dele, para ele, aflorarmos nele o seu melhor estado possível para o momento... É a humildade que nos remove da ilusão que temos o poder de curar alguém...ninguém cura ninguém...pois o estado de saúde ou doença é de arbítrio do Ser, e a ninguém é dado o direito de interferir neste arbítrio... Apenas podemos em nossa ordem, oriunda de nossa conexão, de nosso centramento, gerar um estado vibratório pelo toque de dois campos áuricos, onde pessoa possa melhor arbitrar sobre si mesma, e na lucidez, encontrar seu centramento, removendo temporariamente a camada onde ela está misturada no caos do mundo...mas consciente, que pelo pensar e sentir, logo que esta pessoa saia de toque de nosso campo eletromagnético mais ordenado, ela poderá voltar ao estado anterior...Mas se ela discernir sobre si mesma, e optar por um novo estado consciencial, o Ser irá move-la a um estado mais funcional... Quem busca ajuda, está em um estado de humildade, e portanto é permeável a esta alteração. Mas quem se nega a entrar no estado de humildade de pedir ajuda, de encarar de frente as próprias fragilidades e ilusões, não poderá ser curado, nem por um agente externo a serviço de seu Ser ( que incorporará a projeção de nossa parte saudável, o Ser em nós que precisa de auxilio externo para conversar conosco), nem da própria Essência, a única capaz de operar o milagre, de remover uma doença de uma hora para outra, pois apenas quando a doença perde sua função evolutiva ela ir ser “curada” pela essência... Neste ponto, humildade se torna o caminho, o fluxo da vida em nós, o orgulho a negação da vida...

domingo, 13 de julho de 2014

Caminhos

uma ideia, um conceito e fica martelando na cabeça....parece que é um conteúdo querendo tomar a gente... Vem com força de ação, quer ser realizado de qualquer jeito.... Surgiu? Está querendo te tomar, vá para sua privacidade, tomando cuidado para que ele não escape de seu estrito campo de ação... Observe, e vá liberando esta energia- se for o caso, escreva, registre para poder avaliar depois ( mas não mande para ninguém...). De onde vem esta ideia que te possui???? É obsessão, vem de fora???? Tem alguém te obsidiando? Pode até ser que uma forma pensamento te pressionando, mas sinto te falar- não é externa.... É uma visita proveniente do teu inconsciente, uma força, que tem vida autônoma, que sobe à consciência.... Vem com a mesma pressão de que foi reprimida, com o quantum energético que lhe deu vida e comando... A Psicologia a chama de complexo, de neurose, de estrutura de condicionamento, conforme o conteúdo que aflora... Mas é apenas a sombra subindo, para ser iluminada... uma aspecto sombrio, no qual tem muita energia, e em seu centro, tem centelha, tem uma força , um potencial latente, esperando para ser desenvolvido... Para encara-la, é necessário primeiro aceitar que este conteúdo é teu, assumir a responsabilidade pela existência da mesma... pois se ela é tua, você pode arbitrar sobre ela, e te cabe modifica-la, conhecer este conteúdo sombrio, uma parte que te cabe a transmutar, a alquimizar... No inconsciente, ela é uma panela de pressão, sem válvula de escape...quando consegue vazar, gera um surto, somos tomados pelo conteúdo... Se negar a lidar com ela, é colocar mais pressão na panela, até que um dia ela exploda... E com certeza, o sistema de defesa de integridade do Ser, só deixa subir os conteúdos que já temos condições de lidar- já estamos prontos para modifica-lo... Tenha coragem, e coloque uma válvula de pressão, nesta panela, e vá deixando escapar na privacidade...no teu tempo, na autoconsideração com as limitações do ego, paciência, para não gerar fragmentação, não causar cisão...cada um tem seu limite de força e coragem para lidar. Se o Ego vem e te declara que não é capaz de lidar com o conteúdo, acolha-o, e o acalme: Estamos juntos, eu na gerencia, e você com o conhecimento- estamos só observando, e juntos vamos aprender a lidar com isto.. .e sem pressa... Uma vez o ego acalmado, sem dramas, pois ele confia no teu discernimento, na tua gerencia, vem o momento de acalmar as sombras, o sistema de defesa, lhe demonstrando que queremos transformar para um estado melhor o conteúdo ...e que entregamos ao Universo ( área de ação de nosso inconsciente instintivo) o caminho para lidar com o mesmo... Ai, ao colocarmos nossa mão na gerencia, nossas partes que estão no mesmo barco alinhadas com o mesmo objetivo, formamos um time, onde todos levam o seu melhor para avaliar o que está subindo ... Vamos ao trabalho: Liberamos a energia contida na forma pensamento autônoma, o complexo, que a fez vir e nós tomar, uma possessão, se não houver autoconhecimento e domínio interno... Liberamos parte, e vamos nós ocupar com outras coisas: ocupamos a mente, a distraímos, e esperamos que as coisas se acomodem, mas sem reprimir, sem fortalecer o complexo.... É como um lago, onde vive um jacaré...sabemos que ele irá sair para comer...mas estamos observando-o...ele não será mais capaz de nós atacar, pois estamos conscientes do mesmo, em nosso lago inconsciente... Ou seja, mantemos ele no nível de subconsciente próximo... sabemos que existe, não mais o alimentamos e ele não nós toma mais... se ele voltar...deixamos escapar mais um pouco da energia....e voltamos a observação... repetimos o processo, até que o ego, esteja em condições de lidar com a energia deste complexo sem ser afetado, de forma madura e imperturbável... Algumas vezes precisamos de alguns dias, outros precisam de mais tempo, para chegar a este ponto...mas não podemos esquecer que tem um jacaré faminto em nosso lago, prestes a nós abocanhar... E ai, vamos rever o conteúdo que subiu- que forças envolviam? Qual o conteúdo que foi reprimido? Qual a crença que precisa ser mudada? Se foi reprimida, por ser um trauma sensorial ( sensação de rejeição, de abandono, negligencia, traição, injustiça...), olhe a emoção muito mais que o fato, pois ele foi só uma percepção... E como se voltasse uma fita, regrave o conteúdo, mude a percepção e seu significado, agora com a consciência atual... Mudar a visão sobre sua estória, sobre o que você pensa que te aconteceu, é de teu arbítrio, basta você querer e a atitude e coragem de abrir mão das vantagens segundarias. Observe :Ter me colocado de vítima, me trouxe que benefícios – seja sincero consigo mesmo...tudo tem um preço e um lucro- localize os teus... Ter me colocado como dominador, me trouxe que vantagens? A quem feri? Quero ser aceito pelo medo ou por amor, afeto sincero? Para dominar, gerei uma persona que esconde minha verdadeira essência???? E tornei meu verdadeiro ser um conteúdo reprimido, um complexo???/ Pois a iluminação tão buscada é apenas a subida de nossa Verdadeira Essência, em sua plenitude, sabedoria, poder e amorosidade do que é intransitorio... A consciência não consegue se conhecer, apenas se conhece por meio de suas manifestações....para tal , ela nós emanou... Somos a essência de nossa consciência se conhecendo, se desenvolvendo... Porém no processo de individualização como centelha, onde recebemos limites que nos separam do todo geramos um Ego Espiritual...e um ego humano encarnado... E é um princípio primordial em nós, manter estes egos preservados, cada um no seu nível, para não nos fragmentarmos, não cindirmos ... Então podemos deixar nossa verdadeira essência subir, pela válvula de escape de pressão....Ela vai “subindo, trazendo consciência sobre nós mesmos...aos poucos, sem fragmentação... Ou seja, a iluminação é uma atitude diária, não de ação no externo, na inconsciência, mas na observação das nossas manifestações, nos processos que as mesmas afloram, suas consequências, e aprender a modifica-las... Então, o que nós obsedia, nos toma em possessão, pode ser luminosos ou sombrio, pode ser uma força latente, um potencial, já maduro para aflorar e frutificar, se tornar uma habilidade, uma potência, um poder.... são uma tomada de consciência sobre nós mesmos, uma iluminação, se estivermos despertos, lúcidos e na gerencia de nós mesmos... Muitos de nós, temos muita informação, colecionamos dados, como quem coleciona selos, figurinhas....mas é um conhecimento empírico, só existe no corpo mental abstrato, o toma, e o possui... Para iluminar, as vezes precisamos trazer dados, pontos de vista diferentes, gerando quantum energético ao conteúdo, até que ele “vaze” e nós possua....e ilumine nossa ignorância... E apenas quando um conteúdo sai da atmosfera da informação, desce ao sal, se torna sabedoria, e se manifesta como potencial realizado, que se torna potência, habilidade sob domínio... Mas mesmo esta tem que ser por área, gradual, para não gerar a cisão do ego.... São peças do quebra cabeça , que se tornam em sabedoria- saem do mundo dos conceitos, assumem vida autônoma, frutificam, e que na gerencia, encaixamos no lugar certo.... E quanto maior a perícia que desenvolvemos neste processo, mais maduros, nossos egos verdadeiros, tanto a nível de encarnação quanto espiritual, como nossas forças anímicas, confiarem em nossa capacidade de gerencia, mais conteúdo são iluminados, e sobem para serem encaixados... Por isto, ao contrário do que se pensa, a iluminação não é um momento, é um processo gradual, de tomada de consciência e domínio de potenciais...até que chegue o momentum que podemos nós tomar a nossa verdadeira essência sem romper o processo de individuação- é o ápice do processo- onde todas nossos complexos, nossos potenciais latentes se tornam conhecidos, reconhecidos, replicados e dominados... Nosso sistema de defesa de integridade não permite a iluminação sem ser na integridade, na purificação dos complexos.... e cada corpo nosso, cada parcela de ego, ligado a seu corpo, gerente que é desta esfera consciência nossa, representa um sistema de defesa autônomo.... Então, quando somos tomados por um impulso, não o devemos negar, nem deixar nos tomar....não permitimos que nos fragmente, nem gere cisão....Mas deixamos vazar....e vamos nos perguntando: Este conteúdo, é obsessivo, possessivo, está me encantando, fascinando? O que é isto---com certeza, está tirando-me do meu centro- gero desidentificação: Este não sou eu- apenas é um conteúdo meu “vazando”... E como em todo vazamento, vamos ver como vamos arruma-lo. Fechar a agua do encanamento não é funcional, por muito tempo, pois ficaremos sem agua fluindo ( ou seja tornarmos a emoção mórbida, geramos um complexo destrutivo). Mas contemos e direcionamos sua vazão, até que tenhamos os recursos para efetuar o conserto...mas não o negamos, nem reprimimos...apenas colocamos nosso “jacaré” de volta no lago, e o observamos.... deixamos que se manifeste de forma gerenciada, de forma que a pressão seja aliviada, e ai continuamos a analise: Este impulso, faz parte do princípio primordial evolutivo, de crescimento? De que forma ele serve a este princípio? Se serve a ele, é parte de um processo de iluminação...mas nossa ação sobre ele deve ser evolutiva, lucida, com clareza.... Iniciamos a decisão de como deixaremos este conteúdo aflorar....assumimos o domínio e gerencia do processo... Como deixar ele subir, sem me prejudicar, sem magoar ninguém...mesmo que perceba que é evolutivo para mim, o conteúdo é luminoso, para aprender a dominar o processo de vazão de forma funcional, apenas libero o conteúdo na hora que estiver sem sua possessão, sob total lucidez.... reconheço que estou em surto, mas não sou o surto, e ele não me domina....aprendo a lidar com o surto...e o surto é transitório- tem tempo de validade, e não o alimento, entrando no drama, no sentimentalismo, na fragilidade, na impotência......apenas observo... posso até utilizar ferramentas para controlar o fluxo, em respeito ao sistema de defesa de integridade, para que este se alie a mim... mas nunca reprimi-lo....assumir que se subiu, é porque temos condições de lidar com o mesmo, de ilumina-lo... Esta força que subiu, é evolutiva, ou está direcionada de forma involutiva – e se esta desta forma, cabe nós redireciona-la de forma positivante: Qual é o aprendizado... Qual é o conteúdo que eu desconhecia que está se apresentando para ser absorvido- onde colocarei esta peça no meu quebra cabeça, de que forma ??? Agradeço que mais uma peça se apresenta, a analiso com cuidado e a posiciono...na forma que der no momento... Se é um conteúdo luminoso, também me cabe a gerencia de como manifesta-lo no mundo exterior, discernir, a quem, se irá ferir a alguém... Perceber se realmente é luminosos, se irá acrescentar aos outros, se não irá ferir a ninguém... Analiso do proposito deste conteúdo no mundo – irá acrescentar, gerará ordem e harmonia, união, é positivante a todos que toca... Ou no fundo, tem um conteúdo de tentativa de domínio do outro, querer se firmar sobre o outro...ou seja é egoico??? Qual sua procedência e direcionamento- se for oriundo do falso ego....não o manifeste ao mundo, pois será um plantio que gerará maus frutos.. E se os frutos for causar desconforto em alguém, submeter a alguém a nós, fragmentação, desequilíbrio, caos...a um ser que seja- é uma possessão involutiva, oriunda das ilusões do ego, do corpo mental tomado pela ideia de ser a persona...então, cuide de não plantas está semente, pois sua colheita será obrigatória, logo mais.... mais um princípio: nenhum plantio, ficará sem frutificar, toda causa ( energia colocada em movimento) gerará uma reação... Tenha certeza, se o afloramento é um impulso proveniente do comando que a entidade Humana obedece, por força de sua criação, de evoluir, de crescer sempre, seja pela inteligência, ou pela dor, ele é um passo, um degrau a mais que te aproxima da iluminação...o encare como tal, que se estiver na gerencia, e o direcionar de forma a entrar no fluxo, se resolverá por si próprio, não resista, mas administre sua vazão... É um princípio em nós: Tudo tem uma função positiva, tudo, absolutamente, está a serviço de nos desenvolver, até mesmo a doença, tem a função de nós mostrar que estamos em desequilíbrio, longe de nosso centro, em desconexão ou negação de nossa essência verdadeira, e busca nos levar em retorno ao equilíbrio.....basta desligarmos nossa mente, que atrapalha o perfeito funcionamento desta maquina maravilhosa, que Gaia desenvolveu para que a ocupássemos, como forma de manifestação, através da qual nossa consciência irá se conhecer, se perceber...e pelo contraste, o que é estar em desequilíbrio... Não se acomode...se algo subir, na forma de possessão, de obsediação, você tem poder sim de modificar o processo...não se submeta, mas aprenda a ter domínio sobre si mesmo... É uma parte tua buscando a iluminação, será um quantum a mais se integrado, para gerar o momentum final da iluminação....e esta não pode ser forçada, não há atalhos.... será natural...quando cada célula, cada átomo, cada forma pensamento emanada por nós, no tempo espaço, estiver integrada e iluminada.... E com certeza irá acontecer na parcela manifesta no tempo-espaço, pois no intrasitorio, já somos iluminados, consciência pura, integra, plena, uma com o todo... E se já o Somos, só estamos aprendemos a manifestar nossa plenitude... a não nos submeter a nossos processos obsessivos, a sermos “tomados” por ideias, seja por um complexo reprimido, pela persona que aprendemos a crer que somos, pelo ambiente que nos envolve.... Quem se possui, não será possuído por nada....quem está no domínio, em si de seu poder, não será submetido... Este é nosso desafio....entrar em posse de nós mesmos....desenvolver os potenciais em potencias...

Movimento e vida

Nós temos em nossa vida o efeito de várias leis da física, da mesma forma que outras espécies, vegetais e mesmo o reino mineral. Uma delas é o princípio da conservação de energia, onde os corpos tentem a buscar o repouso, onde há o menor gasto energético. Existe sempre, em nosso corpo a atuação da “vontade” de descansar, de economizar forças... Em contraponto, o organismo precisa para manter sua bioenergética, precisa de movimento. Nossa parte “animal” gera um “conflito” – a vontade de repouso, e a necessidade de ação, dupla polaridade. A mente gera o movimento, ou descanso dependendo de nossos condicionamentos de importância. Se não temos nada a qual damos suma importância para fazer, vence o condicionamento do repouso. Onde vence a passividade, os hábitos....podemos fazer pouco e ter a sensação de cansar. Podemos fazer muito, nós ocuparmos o tempo todo, a ponto de não ter tempo nem para cuidar de si mesmo, e nada realizar. Em ambos os casos, não existe gerenciamento da mente, apenas a ação condicionada, a não ação, ou a ação sem foco. Um corpo para sair da inercia, precisa de muita energia para entrar em movimento, e para vencer o habito de repouso, é preciso uma atitude mental de gerenciamento. Da mesma forma, aos viciados no faz-faz, mas sem lucidez, sem priorizações, sem direcionamento, a energia a ser gasta será menor pois já existe o movimento, mas em geral, é necessário o “freamento da ação”, para poder-se analisar onde estão as perdas energéticas , as ações inúteis, o foco nas atividades que não realizam trabalho útil verdadeiro. Para isto deve se cultivar a disciplina...para seres que adoram a liberdade, e a rebeldia, como o Humano, o autocontrole, o adestramento das próprias tendências, a correção dos hábitos, é algo que se foge... Mas ao não colocarmos a Mente trabalhando a nosso favor, de forma funcional, focada, sabendo fazer os descansos quando nada há para se pensar , nós nos tornamos escravos dos condicionamentos, e perdemos nossa liberdade, ou seja não realizamos o livre-arbítrio, não discernimos sobre nós mesmos... Se não estivermos lúcidos a cada momento do significado de cada ação, ou inação, com clareza do caminho que percorremos, andaremos muito e nada avançaremos, pois é nosso subconsciente que nós move como se fôramos autômatos: surge uma necessidade- surge uma ação que gera uma reação- gastamos energia, deixamos a mesma escapar, encurtamos nossa vida, pois a energia vital é perdida, na ação sem resultados, ou perdemos tempo de vida na inação... Se observamos os animais, eles repartem seu tempo de repouso, e de movimentação. Sabem que após uma refeição, devem descansar, pois sua energia estará comprometida com a digestão, mas só comem quando estão com fome, e na Natureza realizam trabalho antes de se alimentar ( caçam, buscam o alimento, a agua...). Eles respeitam o princípio do ritmo, conforme suas necessidades – movimento seguido de repouso, e novamente atividade. O Humano, devido a seu processo mental continuo, a capacidade de ligar e dar sequência aos pensamentos, perdeu o contato com este ritmo- sua mente não para, sempre está pensando, mas não percebe que a cada pensamento seu corpo tem reações, toda bioenergética é afetada, alterada, pois nosso pensar para nós é solido, afinal gera reações- se você pensa em algo triste, todo corpo se contrai; ao rir, se expande; ao pensar no gosto de um limão, passa a salivar. Portanto para nosso corpo, uma mente descontrolada rompe o princípio da economia de energia – não importa se no mundo exterior existe o descanso físico, a inação, ou a atividade compulsiva, o faz-faz... Para ele a ação continua da mente gera um extremo desgaste, um trabalho monstruoso no corpo, com ordens e contra ordens, ora libera adrenalina, ora cortisona, e o pior ambas ao mesmo tempo....o corpo se degenera, se corrói, e gera doenças, e como a energia disponível ao corpo, em um período de tempo é limitada, órgão estarão sobrexcitados, outros por não terem energia, entram em descanso quando deveriam estar trabalhando. Isto altera toda bioquímica, que se reflete no campo bioenergético, e se reflete em nosso campo de inter-relação com o meio ambiente, levando nosso caos interno ao que entra em reverberação com ele, no mundo exterior. E como um dos campos mais rapidamente afetados, é o nosso “ovo cósmico” energético, ele se enche de buracos, onde nós começamos a reverberar o caos interno, pois nosso campo de individuação, que nos separa do meio, se tornou altamente permeável a energias caóticas, pois outra lei física entra em jogo: O potencial energético mais elevado, se irradia para o de menor potencial, até que ambos se igualem. Um campo sem gerenciamento mental, sem energia, sem integridade, irá reverberar ao caos, e será invadido pelo mesmo, pois o meio sempre terá mais energia à disposição, já que ele reflete a somatória das pessoas que estão nele. A única forma de manter a integridade deste campo é ter o gerenciamento mental, a mente só trabalhar naquilo que tem verdadeira importância para nossa evolução ou sobrevivência, mas estar em silencio, sem ordens , sem dramas, quando não houver trabalho real sendo realizado. Precisamos aprender a deixar o aparelho mental descansar, mesmo quando estamos acordados. Isto se consegue quebrando o condicionamento da mente de sempre estar no faz para se perceber vivo, da mente estar sempre no controle ( e não nós), onde nós nos escravizamos ao pensar, e pior ao modo que fomos habituados a pensar, nunca mudando os pontos de vistas. Aprisionamos nosso aparelho mental em uma gaiola , e a condenamos a um moto-perpetuo, onde nunca paramos de pensar, viciados que somos no pensamento continuo- esquecemos que podemos levar um pensamento até onde quisermos, em um encadeamento de ideias, se quisermos, mas podemos desligar a mente, a colocando no” modo de economia” de energia. Por isto a meditação, ou seja no modo de silencio total, seja no modo observação, ou seja visualizando locais que a fazem repousar, emitem ao organismo comandos de auto regulagem, de homeostase, como nas meditações conduzidas, ou nos processos de biofeedback (*). Ou nosso corpo, cansado dos desmandos da mente, nós induz a entrar em repouso, e quando obedecemos nossa “vontade” de descansar, o corpo se regenera. Por isto várias culturas, mantem até hoje o habito da sesta depois do almoço, para que o corpo possa fazer a digestão, sem a ingerência da mente sem domínio. Neste ponto, voltamos a polaridade que nosso corpo precisa- ora repouso, ora atividade. Quando podemos descansar bastante, ou nós ocupamos com coisas rotineiras, condicionadas, o condicionamento tende a assumir o comando, a ser autônomo, ou seja subconsciente- fazemos sem lucidez. Ou ficamos inertes, vendo a vida passar, ou ela passa por nós enquanto estamos distraídos no faz-faz sem clareza, mesmo que as vezes temos a ilusão que estamos produzindo muito, se não tivermos atentos aos resultados, ao tirar a medida na realidade se nosso trabalho ( gasto energético) está produzindo a realidade desejada. São raras as pessoas que tem controle sobre seu modo de pensar, de forma que só se ocupam com coisas importantes, e para elas sempre estarão repletas de energia, pois terão consigo o suprimento de energia vital da fonte, da centelha interna. Os demais estão sempre gastando as reservas biológicas, ou seja agem identificados com a persona, sem o suprimento da fonte interior, e encontram-se sempre com déficit energético. Gerar disciplina, implica em aprender a controlar a mente, trazer lucidez ao modo de pensar, ao que se pensa, na qualidade das ideias, nas repetições de processos mentais, se há espaço para o surgimento de intuições, insights ( que só vem no repouso mental), ou seja na auto observação. Uma mente que “fala” o tempo todo, o corpo para se proteger dos desmandos, a “desliga”, ou seja corta as reações do pensar com o corpo, ou seja se torna insensível aos pensamentos. E com isto se torna insensível a auto percepção, desliga a sensibilidade com o meu, a capacidade de comandar a permeabilidade do campo áurico, ou seja, temos um corpo que funciona totalmente desconexos com nossa mente, para se manter integro, passa a nós ignorar... Se nosso corpo ignora nosso pensar, ignora nossas palavras, e com isto nosso verbo perde o poder, pois se nem nossas próprias forças anímicas nós obedecem, elas se rebelam contra nossa ingerência sobre suas tão bem desenvolvidas capacidades desenvolvidas durante a evolução, nosso verbo estará sempre sem poder. Pois nós não assumimos o poder de gerenciar nosso aparelho mental, somos submissos a uma forma muitas vezes não funcional de pensar e sentir, somos submissos aos condicionamentos, não conseguimos nem ver a vida sob outras óticas....estamos enrijecidos e aprisionados, sem livre arbítrio – e neste aspecto, estamos perdendo muito para todas as espécies animais, que não usam sua mente para enlouquecer seu alquimista interno, fisiológico. Readquirir o poder de verbo, significa aprender a dominar nosso modo de pensar, a gerenciar não só nossa mente, nossas emoções, nosso sentir, as sensações, as percepções ( abrindo as claripercepções), ou seja dominarmos nosso verbo interno. Você já percebeu se vocês se enquadra em um falador compulsivo ou se é mais quieto, mas tem a mente muito falante? O extrovertido, cuja palavra pronunciada é abundante, seu comando não será ouvido por suas forças internas- para ser obedecido precisará reunir energia de contenção, e pronunciar o comando internamente, pois ai as forças perceberam a mudança no condicionamento e se tornaram atentas. O contrário acontece com as pessoas que pensam muito e falam pouco- as forças anímicas estão mais atentas aos comandos verbalizados externamente, pela energia que a pessoa coloca a mais no pronunciar. O problema está em pessoas que tem um alto falatório interno e estão sempre falando aos outros- as forças aprendem a “ignorar” o fala-fala. O ideal é que nossa mente esteja sempre na gerencia, seja no pensar interno, ou no falar, pois sempre nossas forças anímicas estarão em atenção a nós, e saberão que contam conosco para tomarem decisões que são boas para corpo-mente-espirito, ou seja há uma integração de cada parte, como em um navio, onde todos remam com o mesmo objetivo, ninguém torce contra. Mas como disciplinar a mente? Anote durante o dia, suas atividades no mundo, seu modo de pensar, no que pensou, o quanto em cada assunto, e com que qualidade, quanto tempo passou ruminando “fatos” , se eram reais ou imaginários.... Veja onde você perde mais tempo, onde gasta mais energia, identifique seus pontos fortes e fracos, as oportunidades de melhoria. Seja honesto consigo mesmo- quantas destas atividades lhe renderam no fim do dia satisfação de um trabalho bem feito, e quanto lhe pareceu gasto energia sem realização de resultados funcionais. Se você tende a descansar mais, a ficar em repouso, porque o corpo está acostumado a vida boa, ao sedentarismo, ao mimo, introduza disciplina- limite os horários de descanso, de inatividade física( isto inclui assistir tv, ou ficar navegando no computador, distraindo a mente para dar descanso ao corpo( não importa se fazendo um jogo, no face, ou pesquisando- para o corpo, ele se desliga da mente, portanto para ele é período de inatividade, o que não significa que ele esteja no “modo regeneração”)). Sedentário- inclua uma atividade que seja só para o corpo, onde você se sinta, coloque a consciência em cada grupo muscular, celular. Introduza a consciência corporal, acaricie o corpo, seja grato a ele,- lembre- se que sem ele, você não pode viver- é ele teu veículo, sua ferramenta de interagir com a vida. Fazedor compulsivo – reveja suas prioridades, tudo que está fazendo gera trabalho útil – obedece o princípio da física que energia em movimento gera trabalho, e se este trabalho é evolutivo, gera prazer, expansão ou apenas atrito, onde perdemos energia sem avançar. Pensador compulsivo- aprenda a silenciar a mente, observe se você é escravo da mente, se tem gerenciamento sobre ela- o quanto ela te obedece quando você determina que é momento de observar, se é momento de senti, se é momento de canalizar, de se abrir para o que a “fonte” que nós enviar como insights, intuições....abandone a identificação com a persona- você não é ela, ela apenas existe para servir ao teu Espirito- Você é muito mais que as personas, as máscaras que usa para se relacionar com o mundo- mas se a mente não para, só a persona ocupará todo teu tempo, e toda tua energia, não sobrando nada nem para seus corpos, para a regeneração das forças anímicas, para seus órgão....atente o quanto você consome a energia oriunda do planeta, que é finita, e quanta energia você recebe da fonte, e vá aos poucos assumindo a gerencia mental, para inverter este balanço, pois a energia oriunda da fonte é infinita e capaz de regenerar o organismo. Lembre-se de que todo desequilíbrio começa no aparelho mental sem gerencia, que para sobreviver rouba energia dos demais processos, e evite que este desequilíbrio chegue os físico. Vá buscar algum dos inúmeros métodos que ensinam a disciplinar a mente.... Pois se queres que teu verbo tenha poder de realização, teu corpo precisará estar atento e obediente ao que pensas e falas. Para isto é necessário disciplina, quebrar condicionamentos já automatizados e gerar outros. Isto te obrigará a realizar trabalho intenso, tal como tirar algo do repouso e colocar em movimento, até o momento que o novo movimento se torne sem atrito, automatizado, mas sujeito a sua vontade, a teu arbítrio, ao discernimento, a cada nova situação, teu corpo, tua emoção, tua mente, venha a você, buscar gerenciamento, te apresentem as opções para que você arbitre sobre elas... Qualquer grupo, onde não existe uma cabeça capaz de gerenciamento, onde se deixa tudo solto, nos automatismos tendem a ser degenerar, a ruir, uma empresa entra na falência....nós somos um grupo de células, de órgãos, de forças anímicas, potencias latente e habilidades desenvolvidas, compostos de várias partes, de subpersonalidades, e até mesmo múltiplas personas, e se não houver gerenciamento lucido, com clareza nosso, cada parte nossa irá se dirigir a um destino diferente, e por um caminho as vezes contraditórios. E é onde perdemos energia vital, onde existe os comandos contraditórios para o corpo, que para sobreviver aprende a não mais obedecer ao arbítrio, se torna autônomo.... Assuma o Gerenciamento de seu Universo interno, domine a si mesmo, a sua inercia/sedentarismo físico, descontroles emocionais, processos mentais compulsivos.... Gere poder ao seu verbo em seu Universo interno, para somente depois tentar aplica-lo no mundo externo, onde múltiplas vontades se manifestam... Quem não domina nem a si mesmo, não poderá dominar ao mundo, pois estará submisso e permeável ao potencial caótico mais elevado externo....estará à mercê do mundo... Entrar em equilíbrio é se manter imperturbável, e só consegue não ser perturbável que está em seu centro, em completo domínio de si mesmo, que discerne o que irá reverbera, o que irá neutralizar, o que só irá observar...E só fica em seu centro( self) , quem está em total comando do navio que lhe cabe comandar, e tem a seu favor todas sua “tripulação”, esta integro, alinhado em si, se purificado, ou seja na convicção, total fé em si mesmo, no poder de seu verbo. Parece um trabalho hercúleo, mas se nós foi dado, é porque temos capacidade de realiza-lo, começando um passo a cada dia, iremos ao longe, rumo ao autodomínio, que leva a auto realização, a serenidade que nós permitirá sermos felizes, independentemente das situações de nossa vida.... O primeiro passo é sempre tomar a consciência que podemos arbitrar sobre nós mesmos, que podemos não nos conformar com a zona de conforto, com o repouso, e realizar o primeiro movimento para entrar no movimento lucido...e entrarmos na lei mecânica- realizar trabalho a favor de nós mesmos...

Pensamentos compulsivos

Vem uma ideia, um conceito e fica martelando na cabeça....parece que é um conteúdo querendo tomar a gente... Vem com força de ação, quer ser realizado de qualquer jeito.... Surgiu? Está querendo te tomar, vá para sua privacidade, tomando cuidado para que ele não escape de seu estrito campo de ação... Observe, e vá liberando esta energia- se for o caso, escreva, registre para poder avaliar depois ( mas não mande para ninguém...). De onde vem esta ideia que te possui???? É obsessão, vem de fora???? Tem alguém te obsidiando? Pode até ser que uma forma pensamento te pressionando, mas sinto te falar- não é externa.... É uma visita proveniente do teu inconsciente, uma força, que tem vida autônoma, que sobe à consciência.... Vem com a mesma pressão de que foi reprimida, com o quantum energético que lhe deu vida e comando... A Psicologia a chama de complexo, de neurose, de estrutura de condicionamento, conforme o conteúdo que aflora... Mas é apenas a sombra subindo, para ser iluminada... uma aspecto sombrio, no qual tem muita energia, e em seu centro, tem centelha, tem uma força , um potencial latente, esperando para ser desenvolvido... Para encara-la, é necessário primeiro aceitar que este conteúdo é teu, assumir a responsabilidade pela existência da mesma... pois se ela é tua, você pode arbitrar sobre ela, e te cabe modifica-la, conhecer este conteúdo sombrio, uma parte que te cabe a transmutar, a alquimizar... No inconsciente, ela é uma panela de pressão, sem válvula de escape...quando consegue vazar, gera um surto, somos tomados pelo conteúdo... Se negar a lidar com ela, é colocar mais pressão na panela, até que um dia ela exploda... E com certeza, o sistema de defesa de integridade do Ser, só deixa subir os conteúdos que já temos condições de lidar- já estamos prontos para modifica-lo... Tenha coragem, e coloque uma válvula de pressão, nesta panela, e vá deixando escapar na privacidade...no teu tempo, na autoconsideração com as limitações do ego, paciência, para não gerar fragmentação, não causar cisão...cada um tem seu limite de força e coragem para lidar. Se o Ego vem e te declara que não é capaz de lidar com o conteúdo, acolha-o, e o acalme: Estamos juntos, eu na gerencia, e você com o conhecimento- estamos só observando, e juntos vamos aprender a lidar com isto.. .e sem pressa... Uma vez o ego acalmado, sem dramas, pois ele confia no teu discernimento, na tua gerencia, vem o momento de acalmar as sombras, o sistema de defesa, lhe demonstrando que queremos transformar para um estado melhor o conteúdo ...e que entregamos ao Universo ( área de ação de nosso inconsciente instintivo) o caminho para lidar com o mesmo... Ai, ao colocarmos nossa mão na gerencia, nossas partes que estão no mesmo barco alinhadas com o mesmo objetivo, formamos um time, onde todos levam o seu melhor para avaliar o que está subindo ... Ai vamos ao trabalho: Liberamos a energia contida na forma pensamento autônoma, o complexo, que a fez vir e nós tomar, uma possessão, se não houver autoconhecimento e domínio interno... Liberamos parte, e vamos nós ocupar com outras coisas: ocupamos a mente, a distraímos, e esperamos que as coisas se acomodem, mas sem reprimir, sem fortalecer o complexo.... É como um lago, onde vive um jacaré...sabemos que ele irá sair para comer...mas estamos observando-o...ele não será mais capaz de nós atacar, pois estamos conscientes do mesmo, em nosso lago inconsciente... Ou seja, mantemos ele no nível de subconsciente próximo... sabemos que existe, não mais o alimentamos e ele não nós toma mais... se ele voltar...deixamos escapar mais um pouco da energia....e voltamos a observação... repetimos o processo, até que o ego, esteja em condições de lidar com a energia deste complexo sem ser afetado, de forma madura e imperturbável... Algumas vezes precisamos de alguns dias, outros precisam de mais tempo, para chegar a este ponto...mas não podemos esquecer que tem um jacaré faminto em nosso lago, prestes a nós abocanhar... E ai, vamos rever o conteúdo que subiu- que forças envolviam? Qual o conteúdo que foi reprimido? Qual a crença que precisa ser mudada? Se foi reprimida, por ser um trauma sensorial ( sensação de rejeição, de abandono, negligencia, traição, injustiça...), olhe a emoção muito mais que o fato, pois ele foi só uma percepção... E como se voltasse uma fita, regrave o conteúdo, mude a percepção e seu significado, agora com a consciência atual... Mudar a visão sobre sua estória, sobre o que você pensa que te aconteceu, é de teu arbítrio, basta você querer e a atitude e coragem de abrir mão das vantagens segundarias. Observe :Ter me colocado de vítima, me trouxe que benefícios – seja sincero consigo mesmo...tudo tem um preço e um lucro- localize os teus... Ter me colocado como dominador, me trouxe que vantagens? A quem feri? Quero ser aceito pelo medo ou por amor, afeto sincero? Para dominar, gerei uma persona que esconde minha verdadeira essência???? E tornei meu verdadeiro ser um conteúdo reprimido, um complexo???/ Pois a iluminação tão buscada é apenas a subida de nossa Verdadeira Essência, em sua plenitude, sabedoria, poder e amorosidade do que é intransitorio... A consciência não consegue se conhecer, apenas se conhece por meio de suas manifestações....para tal , ela nós emanou... Somos a essência de nossa consciência se conhecendo, se desenvolvendo... Porém no processo de individualização como centelha, onde recebemos limites que nos separam do todo geramos um Ego Espiritual...e um ego humano encarnado... E é um princípio primordial em nós, manter estes egos preservados, cada um no seu nível, para não nos fragmentarmos, não cindirmos ... Então podemos deixar nossa verdadeira essência subir, pela válvula de escape de pressão....Ela vai “subindo, trazendo consciência sobre nós mesmos...aos poucos, sem fragmentação... Ou seja, a iluminação é uma atitude diária, não de ação no externo, na inconsciência, mas na observação das nossas manifestações, nos processos que as mesmas afloram, suas consequências, e aprender a modifica-las... Então, o que nós obsedia, nos toma em possessão, pode ser luminosos ou sombrio, pode ser uma força latente, um potencial, já maduro para aflorar e frutificar, se tornar uma habilidade, uma potência, um poder.... são uma tomada de consciência sobre nós mesmos, uma iluminação, se estivermos despertos, lúcidos e na gerencia de nós mesmos... Muitos de nós, mais mercuriais, temos muita informação, colecionamos dados, como quem coleciona selos, figurinhas....mas é um conhecimento empírico, só existe no corpo mental abstrato, o toma, e o possui... Para iluminar, as vezes precisamos trazer dados, pontos de vista diferentes, gerando quantum energético ao conteúdo, até que ele “vaze” e nós possua....e ilumine nossa ignorância... E apenas quando um conteúdo mercurial, sai da atmosfera da informação, desce ao sal, se torna sabedoria, e se manifesta no súlfur como potencial realizado, que se torna potência, habilidade sob domínio... Mas mesmo esta tem que ser por área, gradual, para não gerar a cisão do ego.... São peças do quebra cabeça , que se tornam em sabedoria- saem do mundo dos conceitos, assumem vida autônoma, frutificam, e que na gerencia, encaixamos no lugar certo.... E quanto maior a perícia que desenvolvemos neste processo, mais maduros, nossos egos verdadeiros, tanto a nível de encarnação quanto espiritual, como nossas forças anímicas, confiarem em nossa capacidade de gerencia, mais conteúdo são iluminados, e sobem para serem encaixados... Por isto, na Tabua de Esmeralda, se compreender o processo: conheceras as coisas da terra, o que manifestamos de forma terrena, os potenciais latentes, as forças a serem adestradas, desenvolvemos as dadivas nos presenteadas por Gaia, para que como Consciência, possamos nos conhecer, subiras aos céus, ou seja aprenderás a ilumina-las com tua sabedoria, e depois deverá retornar a terra para realizar ( manifestar) teu poder, ou seja , aprenderá a gerenciar os potenciais , habilidades de forma equilibrada, funcional, e se alinhando, centrados, no fluxo da Consciência Criadora Divina... Por isto, ao contrário do que se pensa, a iluminação não é um momento, é um processo gradual, de tomada de consciência e domínio de potenciais...até que chegue o momentum que podemos nós tomar a nossa verdadeira essência sem romper o processo de individuação- é o ápice do processo- onde todas nossos complexos, nossos potenciais latentes se tornam conhecidos, reconhecidos, replicados e dominados... Nosso sistema de defesa de integridade não permite a iluminação sem ser na integridade, na purificação dos complexos.... e cada corpo nosso, cada parcela de ego, ligado a seu corpo, gerente que é desta esfera consciência nossa, representa um sistema de defesa autônomo.... Então, quando somos tomados por um impulso, não o devemos negar, nem deixar nos tomar....não permitimos que nos fragmente, nem gere cisão.... Mas deixamos vazar....e vamos nos perguntando: Este conteúdo, é obsessivo, possessivo, está me encantando, fascinando? O que é isto---com certeza, está tirando-me do meu centro- gero desidentificação: Este não sou eu- apenas é um conteúdo meu “vazando”... E como em todo vazamento, vamos ver como vamos arruma-lo. Fechar a agua do encanamento não é funcional, por muito tempo, pois ficaremos sem agua fluindo ( ou seja tornarmos a emoção mórbida, geramos um complexo destrutivo). Mas contemos e direcionamos sua vazão, até que tenhamos os recursos para efetuar o conserto...mas não o negamos, nem reprimimos...apenas colocamos nosso “jacaré” de volta no lago, e o observamos.... deixamos que se manifeste de forma gerenciada, de forma que a pressão seja aliviada, e ai continuamos a analise: Este impulso, faz parte do princípio primordial evolutivo, de crescimento? De que forma ele serve a este princípio? Se serve a ele, é parte de um processo de iluminação...mas nossa ação sobre ele deve ser evolutiva, lucida, com clareza.... Iniciamos a decisão de como deixaremos este conteúdo aflorar....assumimos o domínio e gerencia do processo... Como deixar ele subir, sem me prejudicar, sem magoar ninguém...mesmo que perceba que é evolutivo para mim, o conteúdo é luminoso, para aprender a dominar o processo de vazão de forma funcional, apenas libero o conteúdo na hora que estiver sem sua possessão, sob total lucidez.... reconheço que estou em surto, mas não sou o surto, e ele não me domina....aprendo a lidar com o surto...e o surto é transitório- tem tempo de validade, e não o alimento, entrando no drama, no sentimentalismo, na fragilidade, na impotência......apenas observo... posso até utilizar ferramentas para controlar o fluxo, em respeito ao sistema de defesa de integridade, para que este se alie a mim... mas nunca reprimi-lo....assumir que se subiu, é porque temos condições de lidar com o mesmo, de ilumina-lo... Esta força que subiu, é evolutiva, ou está direcionada de forma involutiva – e se esta desta forma, cabe nós redireciona-la de forma positivante: Qual é o aprendizado... Qual é o conteúdo que eu desconhecia que está se apresentando para ser absorvido- onde colocarei esta peça no meu quebra cabeça, de que forma ??? Agradeço que mais uma peça se apresenta, a analiso com cuidado e a posiciono...na forma que der no momento... Se é um conteúdo luminoso, também me cabe a gerencia de como manifesta-lo no mundo exterior, discernir, a quem, se irá ferir a alguém... Perceber se realmente é luminosos, se irá acrescentar aos outros, se não irá ferir a ninguém... Analiso do proposito deste conteúdo no mundo – irá acrescentar, gerará ordem e harmonia, união, é positivante a todos que toca... Ou no fundo, tem um conteúdo de tentativa de domínio do outro, querer se firmar sobre o outro...ou seja é egoico??? Qual sua procedência e direcionamento- se for oriundo do falso ego....não o manifeste ao mundo, pois será um plantio que gerará maus frutos.. E se os frutos for causar desconforto em alguém, submeter a alguém a nós, fragmentação, desequilíbrio, caos...a um ser que seja- é uma possessão involutiva, oriunda das ilusões do ego, do corpo mental tomado pela ideia de ser a persona...então, cuide de não plantas está semente, pois sua colheita será obrigatória, logo mais.... mais um princípio: nenhum plantio, ficará sem frutificar, toda causa ( energia colocada em movimento) gerará uma reação... Tenha certeza, se o afloramento é um impulso proveniente do comando que a entidade Humana obedece, por força de sua criação, de evoluir, de crescer sempre, seja pela inteligência, ou pela dor, ele é um passo, um degrau a mais que te aproxima da iluminação...o encare como tal, que se estiver na gerencia, e o direcionar de forma a entrar no fluxo, se resolverá por si próprio, não resista, mas administre sua vazão... É um princípio em nós: Tudo tem uma função positiva, tudo, absolutamente, está a serviço de nos desenvolver, até mesmo a doença, tem a função de nós mostrar que estamos em desequilíbrio, longe de nosso centro, em desconexão ou negação de nossa essência verdadeira, e busca nos levar em retorno ao equilíbrio.....basta desligarmos nossa mente, que atrapalha o perfeito funcionamento desta maquina maravilhosa, que Gaia desenvolveu para que a ocupássemos, como forma de manifestação, através da qual nossa consciência irá se conhecer, se perceber...e pelo contraste, o que é estar em desequilíbrio... Não se acomode...se algo subir, na forma de possessão, de obsediação, você tem poder sim de modificar o processo...não se submeta, mas aprenda a ter domínio sobre si mesmo... É uma parte tua buscando a iluminação, será um quantum a mais se integrado, para gerar o momentum final da iluminação....e esta não pode ser forçada, não há atalhos.... será natural...quando cada célula, cada átomo, cada forma pensamento emanada por nós, no tempo espaço, estiver integrada e iluminada.... E com certeza irá acontecer na parcela manifesta no tempo-espaço, pois no intrasitorio, já somos iluminados, consciência pura, integra, plena, uma com o todo... E se já o Somos, só estamos aprendemos a manifestar nossa plenitude... a não nos submeter a nossos processos obsessivos, a sermos “tomados” por ideias, seja por um complexo reprimido, pela persona que aprendemos a crer que somos, pelo ambiente que nos envolve.... Quem se possui, não será possuído por nada....quem está no domínio, em si de seu poder, não será submetido... Este é nosso desafio....entrar em posse de nós mesmos....desenvolver os potenciais em potencias...

Caminhos

“Não podemos trilhar o caminho por outrem, mas podemos gerar o testemunho de um caminhar nosso, para que possa inspirar e abrir espaço na mente adormecida desta possibilidade, abrindo-a ao livre arbítrio. Os caminhos mais difíceis de se seguir são os caminhos que ainda não foram percorridos. Os caminhos já percorridos trazem a possibilidade, mas não a originalidade. Abrem caminhos até que o Ser aprenda a caminhar, desenvolva suas forças, sua coragem e ousadia. Seguir pelo caminho original, proveniente do próprio Ser, o que nossa essência deseja percorrer, em sua Unicidade, é como estar à beira de um precipício, no topo da montanha. Nada a frente, só o abismo. Nada atrás, nada a direita e nem a esquerda...não há mais dentro nem fora, pois o limite precisa de percepção...apenas o espaço vazio é possível para o caminhar. Só nos resta neste momento, saltar no abismo do Ser. Sem referências aonde se apegar, nada existiu e nada existirá. Sem percepção de tempo-espaço a mente logica enlouquece...sem o sentir, as sensações geradas pelo físico somem... Não há mais magoas, todas feridas do passado se perderam no domínio do tempo... Não há mais desejos, pois o ter, deixa de existir quando o espaço evapora... O transitório não existe a beira do abismo do Ser... Sem referências, não há caminho de onde viemos, nem para seguirmos... Não há apegos, porque não há o que perder...não há medos, porque o Ser não se fere... O Ser só pode ser o que é, o que sempre foi, e o que sempre será... nada nascerá dele, que já não exista nele... Não se expande, nem se contrai, não se desequilibra, nem se equilibra, pois apenas é, sem movimento, já que o mover-se exige existência de tempo-espaço-matéria. Ao Ser apenas resta se tornar autoconsciente, tornar o que existe em si como latência, em potenciais... Ativar habilidades, desenvolver capacidades, direcionar o foco da consciência onipresente, a onisciência...´ É a consciência experienciando a si mesma...como uma criança aprende a dominar o uso de seus membros... Assim como ninguém pode desenvolver a musculatura de um bebe para que ele se torne capaz de caminhar, Ninguém pode caminhar por outrem, nem lhe abrir caminhos, se este já não existir em si... Pode-se dar exemplos, mostrar possibilidades...ser testemunho, enquanto personas manifestas, no plano visível e perceptível pela criatura.... Mas o caminhar, quando nasce do Ser é único, original, não segue, não deseja ser seguido... Pois as experiências se tomada de consciência de cada Espirito são únicos e exclusivos, transcendem a materialidade... Mas uma consciência manifesta pode tocar outra consciência, pois no mais profundo são consciências individualizadas do mesmo Ser. Mas até o toque depende da permissão do Ser. Caminhamos juntos, na troca de potenciais, de consciências, a mais desperta gera reverberação na menos desperta. Mas só pode haver a ressonância no que já existe no Ser.... No mundo dual, pode-se receber o toque da polaridade positiva ou negativa, apenas se estivermos polarizados. Se polarizados na negatividade, seremos tocados pelo que é negativo, pela escuridão, pela ignorância, por forças primitivas e não adestradas, pela lei da afinidade... No arbítrio, podemos escolher ativar em nós o positivo, e buscarmos pessoas que despertem em nós nossa luz.... Luz, pela física é a energia em movimento, na velocidade que lhe é própria... Mas para a consciência, é lucidez, a percepção clara, a clareza sobre fatos, processos, causas e efeitos... Para tal, o Ser, gera de si um veículo lentificador , que vive sob leis do tempo-espaço-matéria, chamada corpos... Onde por ora estamos com a consciência aprisionada...uma semente focal do Ser, assistindo a si mesmo, em uma velocidade menor Vivenciando a ação, seus efeitos, compreendendo as leis que o movem... É Deus se conhecendo...É Deus se manifestando...Deus ativando através da irradiação a Consciência em cada partícula... Deus que é onda portadora...ou se flui surfando na onda, ou se resiste gastando energia... O Ser flui....a persona resiste...eis a dualidade ativada....buscando compreender e transcender. A menor partícula de Deus, o elétron, que está em todo lugar ao mesmo tempo, é como um fractal... Tem o todo em Si, esteve e está em todos pontos , nas infinitas possiblidades do espaço tempo... Apenas o veículo de manifestação, por estar lentificado, não consegue mudar seu ponto focal... A persona está mergulhada e submetida ao que percebe como realidade, pois não concebe outra alternativa... O Ser , porém, pode mover sua consciência de ponto a ponto, como o fazemos quando pensamos na mão e depois em um pé, e os movemos... Pode mover todo o conjunto, como movemos nosso corpo... pode mudar de espaço existencial, como fazemos ao caminhar de um local ao outro... A persona tem campos existenciais onde vivenciar, limitados, porém além do físico pode mudar seus estados conscienciais, emocionais, mentais... Basta exercitar sua Vontade e ter atitude, entrar em atividade, na disciplina que vence os condicionamentos... Transferir a percepção da vida, do espaço que se restringe a identidade atual que ocupamos, onde só fluímos na horizontal: do passado para o futuro, de volta ao passado, em um ciclo repetitivo, limitado, de padrões se perpetuando... magoas gerando defesas...medos aprendidos ...verdades relativas incorporadas e replicadas, absorvidas do meio ambiente ou externo, ou interno... Onde a persona perde a conexão com o Ser, confundida com suas in-corporações.... Fluir no Ser, exige a des-in-corporação – remover do veículo manifestado, tudo que não lhe é próprio, que não se origina do Ser... Romper com a mistura com o ambiente, seja externo, ou interno – deixar de estar misturado, é se purificar... Nós nos misturamos, com pensamentos, com emoções, com energéticas, tanto que não mais sabemos quem somos... O que pensamos sobre nós, é apenas uma ideia, oriunda de nosso reflexo refletido de volta pelo mundo externo- o que os outros pensam sobre nós, que se impregnaram em nossa persona... O que sentimos Ser, é reflexo das reações de nossa bioenergética, reverberando as ações do mundo externo... Geramos para nós um ego fictício, idealizado, fruto de visão distorcida que corrói e degenera, o que não recebe o fluxo do Ser. Mundo Externo, que tem leis em si, geradas, com a única função de gerar um campo existencial de desenvolvimento do ser, cujos limites servem apenas para realizemos nossa “musculação” que gera as capacidades que ancoraram a nova consciência... A persona, apenas uma referência, onde o Ego Espiritual aprende a se fortalecer, para gerar a Consciência Divina Individualizada, Onde o Amor inteligente encontra os recursos para se manifestar, através da inteligência amorosa do Criador... O que chamamos de doença, de sofrimento é apenas a resistência que exercemos contra a onda portadora... É o medo da persona de desintegrar-se...o medo de se pular no abismo do Ser.... Onde pensar, não significa mais existir...sentir não significa mais estar vivo... Existir transcende, no Ser, o pensar e o sentir sobre o que é existir.... Só é possível a um Ego muito fortalecido, autocentrado, que para poder pular no “vazio” da plenitude, na integridade da consciência ampla do Ser, não pode ter percorrido atalhos, pois lhe faltaria os potenciais que seriam desenvolvidos pelos obstáculos, e ao saltar, se fragmentaria, ou cindiria, perdendo a experiência. Se o Ser, já é tudo que pode Ser, apenas aprendendo a se manifestar como co-criador, a ser Sol, a gerar galáxias, não há pressa, não há porque ter ansiedade... Coletar todas as experiências no percorrer o caminho, é de maior importância, é se tornar lucido de cada passo dado, consciente de cada plantio, e a colheita decorrente... É aprender a plantar cada vez melhor, a escolher as melhores sementes, a cultivar o solo, onde serão depositadas, o como proteger e dar condições para que a semente brote... E ao brotar se tornar forte para enfrentar o caos do mundo externo, a secura, ou pântano do mundo interno, a ignorância do melhor caminho de como evoluir... Apenas para depois de se tornar arvore forte, tendo enfrentados ciclos naturais, aprender a florescer e frutificar... E como a arvore, poder se multiplicar através dos frutos, sem se preocupar se o fruto, onde colocamos nossa melhor semente, terá que destino.... Para a arvore, basta que apenas uma semente brote, terá garantido e preservado sua espécie... A arvore confia no Universo...a persona precisa aprender da mesma forma, a confiar no Ser que é sua fonte.... E no momento que o Ser pedir que desperte, aceitar a clareza e lucidez decorrentes sem duvidar.... Confiar não é crer em algo, é um espaço existencial que se penetra, e se permanece quando estamos Unos com o Ser... Neste espaço, não há mais dúvidas, não existe mais ilusões, não é mais possível se machucar, portanto as defesas da persona descansam neste espaço... Pois este espaço consciência, onde o Ser nos convida a estar após a persona a ficar “nu” abandonar todas suas referências, desapegar e ter pulado no abismo... E surpreendam-se- neste espaço não existe a morte do veículo manifesto, pois é através dele que o Ser se manifesta, e aprende a dominar seus processos... Percebe através da lentificação, onde comete enganos quanto a atuação das leis divinas e de Gaia, pois pode acompanhar cada segundo o desenvolver do ato, e suas consequências, e pode modifica-lo ainda a tempo, quando a consequência não é a desejada... Eis o Grande Laboratório onde a Criação realiza sua Obra... o trabalho sagrado, do Ser na sua manifestação...mas isto exige estar sempre lucido sobre si mesmo, se questionando do porquê das ações, e que leis estamos ativando, e quais probabilidades restringimos em nossa experiência atual... Ao escolher onde se manifestar, visando a colheita de dados desejados, foi escolhido um corpo, com uma carga genética ( DNA ativo) e familiar especifica, um contexto sócio-cultural-religioso( DNA sutil)... São os recursos e ao mesmo tempo os limites da atual experiência- o campo existencial e consciência primeiro a que somos submetidos...o que iremos in-corporar durante nosso crescimento, e o que faremos com estas Heranças...A atração do corpo e da experiência obedece ao princípio de ressonância vibratória O Ser Humano é concebido na casa das heranças, a ancestralidade( sua- caixona e genética) pois a elas deverá transmutar e transcender... cabe ao veículo, a persona, cuidar de seu campo consciencial, introduzindo novos recursos, removendo limites- arbitrando sobre si mesmo, discernindo nas infinitas possibilidades disponíveis... Por toda esta bagagem, percebe-se porque ninguém pode caminhar pelo outro, e porque o caminho é individual...porque o despertar não pode ser provocado antes do momento correto... Há o momento de termos a referência do mestre externo, que nos indica que o caminho é possível, e para que a persona não enlouqueça, não se fragmente, não cinda , antes de estar pronta para se entregar ao próprio Ser, seu verdadeiro mestre... E quem recebeu a benção , dadiva de seu próprio Ser, encontrar no seu caminho um estimulador de seu despertar consciencial, deve ser grato....mas não é uma gratidão que gera aprisionamento, servidão, pelo contrário, liberta, nutre e se multiplica... O Criador se multiplica através da Graça, no fluxo da Vida, de Ágape... Pois receber a Graça, é algo para se cultivar para sempre, é para se tornar testemunha, e assim como recebeu em si, está semente do Amor inteligente divino, se torna canal da Graça Divina, da Vontade do Criador... Siga seu caminho, some-o a outros que tem a mesma busca, alimentem-se, apoiem-se mutualmente, pois no mais profundo é a você mesmo que o estará fazendo... o outro é apenas, uma outra manifestação da mesma centelha, buscando um vivencia um pouco diferente da sua...e se está manifesto em sua vida, é porque o relacionamento entre ambos é importante... aprenda a trabalhar em equipe com suas demais partes manifestadas, sejam empáticos com suas dificuldades, tolerantes...pois o que manifestam fora de si, já é dentro de vocês.... Verifique o que est negativado, resistindo a manifestação do Ser, onde os átomos não estão impregnados de vida, e se alinhe...se centre no Ser....´e convide a vida para se manifestar na sua plenitude. Se positivado, no fluxo, nutra e replique...nutra cada átomo de qualidades, de alma que você já conseguiu despertar em ti... Nutra a beleza, o estar se sentindo bem, pense o melhor sobre si mesmo, mas não caia na armadilha da soberba, a pretensão de reinar sobre o outro.... Pois se o Ser já é tudo que é possível ser, ele apenas se manifesta, ele não precisa se firmar no mundo, nem externo, nem interno, não domina, não submete, Não conquista, pois como herdeiro da Vontade divina, tudo já lhe pertence, nada existe fora de si mesmo... O Ser, a alma, gosta de companhia, gosta de trocar experiências, é afetivo, sem se afetar, pois não mais tem medo de se misturar, nem de se perder de si mesmo... O caminho inicial para tudo isto, ´´e a busca da autoconsciência sincera... aceite quem você realmente é, o que esconde de si mesmo, pois o que te causa vergonha são apenas oportunidades de melhoria se apresentado... Tudo, absolutamente tudo que te acontece é com a permissão do teu Ser, e ele que atrai e afasta experiências do veículo manifesto... Portanto tudo tem uma função nobre, mesmo que no atual estado consciência não compreendamos... então não mais se magoe, não mais se fira, nem permita que alguém te fira, pois sempre será através do teu poder ( ou negação do mesmo) que você será afetado... Domine seu poder de impressão, não mais in-corpore ( valide em seus corpos) , sem antes fazer uso da observação desidentificada, de discernir e arbitrar.... Não mais replique aquilo que não mais deseje, e aprenda a replicar ao Seu Ser Maior, permita que ela se manifeste em ti, e atue através da tua persona... Some-se a tua Verdadeira Essência, não mais a subtraia, não mais a fragmente, não a nege...pois ao nega-la, a negar sua maestria, estarás negando a própria vida... Siga firme e forte teu caminho...saiba que ele é de tua responsabilidade, e tenha certeza que terás êxito, pois no Ser, a conquista já é!!!! Seja o que você nasceu para ser...viva como o Ser se manifestando somado contigo....”