Follow by Email

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Aprendizagem

Você já reparou a forma que você aprende as coisas? O quanto quando alguém oferece uma ideia nova, que não se encaixe no modo atual de pensar, muitas vezes desqualificamos a fala, resistindo a ela, ao invés de observar este novo ponto de vista, e amplificar nossa verdade? Nós desde bebes aprendemos por imitação, vemos as pessoas fazendo certas coisas, seu resultado e adotamos, e uma fez que o fizemos, este modo de agir se torna subconsciente, fazemos assim...sem pensar, sem avaliar se há outro modo melhor de realizar a mesma operação...somos condicionados pela cultura em que vivemos, frutos de um modo de agir conforme nosso grupo, religião, onde o que todos fazem, é permitido, e ser diferente não....Para ser aceito, copiamos...e perdemos a lucidez, nossa individualidade...por isto vemos pessoas de bem, que quando se deixam envolver em greves, em torcidas, em grupos fundamentalistas, se tornam ríspidas, intolerantes, tendendo a agressividade ao que é diferente....pois ele faz com que se questione, e o retira da zona de conforto...e como desaprendemos a pensar, isto é um perigo a ser evitado...Não interessa a ninguém que pensemos diferente. Isto gera caos em sistemas que estão em pseudoequilibrio...a mentira é perpetuada e acaba sendo verdade para aquele grupo...qualquer coisa que vá contra esta ilusão da verdade é combatida....eis a estória da Humanidade...o apego ao modo de ser, mesmo que ele esteja causando muita dor, queremos preservar pois é o que fomos condicionados a crer como correto....para quebrar estes condicionamentos precisamos aprender a pensar, voltar a idade dos porque...buscar múltiplos modos de ver algo, e construirmos a nossa verdade, baseada em vivência pessoal, onde sentimos, plantamos e colhemos o resultado, e o avaliamos, e não vestindo as interpretações dos outros...Para isto precisamos nós expor aos que pensam diferente...conhecer outras religiões, filosofias, povos, grupos...e entrar neles e vivenciar sua realidade, mas sem deixar de ser quem somos, lúcidos, porém sem preconceitos...viajar a outros países, outras culturas, de preferencia pessoalmente, e se não der, por filmes, livros...Como é que o resto da Humanidade vive? O que todos povos aceitam como valor nobre? E o que diverge? E a partir dai para de viver como ratinhos de laboratório condicionados, e escolhermos nosso caminho. Livre arbítrio só existe para quem se libertou dos condicionamentos, para quem sabe pensar sobre o que percebe do mundo, avaliar o que sente, intuir a causa e mudar o plantio feito hoje, para mudar a colheita do amanhã....Livre arbítrio é discernimento, fazer escolhas lucidas...que age por condicionamentos, aprendizado por exposição, sem vivencia consciente das coisas, nunca terá o verdadeiro livre arbítrio...