Follow by Email

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Poder de imaginaçao

Estudos científicos já comprovaram que nossa mente não tem a capacidade de diferenciar o que e real, fato que acontece no mundo exterior, daquilo que foi imaginado. Esta propriedade mental esta sendo bastante utilizada no treinamento de atletas, pois ele pode fazer seus treinamentos sem usar o equipamento, mas se imaginando fazendo cada movimento, sentindo as reações de sua musculatura, e tomando consciência de cada alteração e com isto fazer as correções, e gerar condicionamentos subconscientes. Esta é a diferenciação dos atletas comuns dos de auto desempenho... Estes são capazes de mentalmente reproduzir sua atividade, nos mínimos detalhes e corrigi-los. Inicialmente esta pratica foi introduzida aos atletas que sofreram contusões, e estavam impossibilitados de treinar fisicamente, mas aos poucos foram expandidos, devido aos resultados, a todas as atletas de esportes individuais. No arco e flecha, no golfe, na ginastica olímpica, boliche... E aos poucos a meditação ativa, mas sem equipamento, ou mesmo passiva ganhou espaço, pois gera um diferencial no atleta. Hoje os jogos virtuais de movimento, onde se simulam um jogo, são baseados neste principio, o jogo é virtual, porem toda reação orgânica é a mesma de um jogo feita em um campo, contra um adversário, com a vantagem de se estar na sala de casa, sem a probabilidade de lesões. E cada vez mais as academias se enchem... se simula em um espaço seguro, restrito as dificuldades do campo de treinamento...e se associado a comandos mentais, o exercício gera resultados muito maiores.... A mentalização criativa gera um campo bioenergético, reações no corpo físico alterando a bioquímica, a paz interna traz autoconsciência muscular, o que gera autodomínio. O principio do Mentalismo diz que o Universo é mental, e isto tem sido demonstrado por estas praticas ser real... A mente (corpo mental abstrato) projeta para os corpos físico, emocional e mental concreto o que foi “visualizado” fazendo-os reagir da mesma forma, seja um fato real vivenciado no mundo físico, ou seja, uma ilusão, uma probabilidade. A mente tem o poder de foco, e a emoção tem o poder de magnetismo, ou seja, se reúne foco-eletricidade com magnetismo-fator de aglutinação da prima mater., ou seja, a visualização tem poder de gerar realidade... Este é um conceito difícil de acreditar, pois quebra todos os paradigmas que temos, pois fomos criados acreditando que somos sujeitos as imposições do mundo exterior, e que nada que fizermos poderá modifica-lo, devendo nos conformar ao que se apresenta, e condicionados a nos firmarmos no mundo externo, gerando uma persona, uma pseudoidentidade apropriada para nos movermos na pseudo realidade, que de tão identificados que estamos a esta estória, passamos a ser meros personagens da vida... caímos na armadilha: aprendemos um modo de pensar, a reproduzimos por exposição a ponto de ser real para nos, e como esta visualização plasma a prima mater, se torna realidade....e como passamos a vivencia-la dentro e fora de nos, se torna a única forma de vida, e chamamos isto de realidade....mas apenas é a exteriorização de nosso poder de criação mental. Entramos na estória, que se torna zona de conforto, e nos perdemos de nossa verdadeira essência de co-criadores. Mas a visualização pode modificar isto... se plasmamos de forma continua, e SEM DUVIDA, um novo padrão mental, gerando uma mudança de postura perante a vida, e uma atitude ( se manter na postura 24h/dia). Podemos mudar a realidade exterior mudando a realidade interior. O contrario é muito mais difícil, pois a primamater esta sujeita a influencia do pensamento projetado coletivo, sendo a somatória da forma de pensar condicionada desta sociedade do entorno. Fica muito mais fácil, ao alterarmos nossa vibração e aceitarmos a modificação do mundo exterior, nos adaptando a lei da atração e repulsão vibratória, mudarmos de grupos, escolhendo para nos um grupo mais adequado ao nosso novo modo de pensar... desapegar da antiga forma de ser, da mente velha, dos condicionamentos do coletivo não é fácil, exige dedicação, perseverança, disciplina, constante observação de si mesmo , ou seja trabalho duro...mas vale a pena, pois iremos, através da mudança dos processos mentais, do uso da visualização, uma vida de melhor qualidade para nos. Quem já esteve no meio da natureza e vivenciou um momento de “desligamento” do mental concreto, e se deixou fluir em sua própria Natureza, se deixou banhar pela energia natural, que por sua vibração desperta a nossa, e entrou em ressonância com a ordem e funcionalidade de um ambiente belo, feito pelo criador maior, e foi tocado por ele, momento em que a alma e espirito se integraram com o corpo, onde a mente silenciou perante a beleza... Um estado de mini samadhi, de fusão com a Natureza... um estado de pureza, de presença, fora do espaço-tempo-matéria comum...só a sensação de pertencer, e que tudo esta correto, em paz, em harmonia..... Este momento permanece em nosso inconsciente, em cada célula de nosso corpo, nossas forças anímicas sabem reproduzir este minisamadhi, onde estávamos íntegros... mesmo quer tenha sido só por segundos...Este é um estado referencia vibratório, ao qual podemos retornar a qualquer momento...basta se permitir a visualização ...voltar a se sentir neste “momento” de presença... O Brasil pela sua mistura de raças e culturas deu uma qualidade ao brasileiro única no mundo. Enquanto os países europeus, os americanos, geraram um modo de vida, onde somente o corpo mental concreto tem uma forte função, onde a capacidade de visualização, propriedade do corpo mental abstrato foi anulado, as emoções foram condicionadas como sendo sinais de fragilidade, o que tem que ser evitados a todo custo, e o corpo físico, ferramenta de realização se tornou mimado, dado a grande quantidade de alimentos disponibilizados pela tecnologia, e a não necessidade mais de se plantar para colher... perdeu-se a noção que tudo tem seu ciclo de preparo da terra, da semeadura, a necessidade de a todo dia regar e remover as ervas daninhas, ate que a semente se torne broto, frágil, sujeito as intempéries, e ao ser exposto ao mundo exterior, se fortalece e cresce ( ou sucumbe...), e na hora correta, ira dar flores e frutos, pois esta é sua Natureza, e não porque tem a preocupação de determinar o destino de seus frutos... Nesta cultura, o foco mental (mercúrio) se tornou qualidade, uma qualidade do masculino, mas o excesso de foco, gerou uma sociedade vela, doente, frágil, que se degenera e sofre corrosão/corrupção. O cérebro reptiliano (sulfúrico), nossas sinapses autônomas, nossos cérebros internos, nosso alquimista interior, foi desprezado nestas culturas mais antigas... Mas uma sociedade mais jovem, como a brasileira, onde a miscigenação trouxe diversas formas religiosas, além da cristã, e ter em si, a semente da relação com a Natureza da raiz indígena, as superstições e relação com os poderes naturais dos africanos, o culto aos orixás (forças/qualidades primordiais divinas), que tanto nos influencia, vivermos ainda aos pés das matas, do oceano, podermos ver vastas áreas de cultivo, convivermos com animais, seja domesticado, como os selvagens... ou seja ainda mais próximos ao plano instintivo, as sensações do corpo físico, nos permitimos mais exteriorizar a sensibilidade, via mediunidade, o uso de técnicas bioenergéticas, seja na religião como nas terapias holísticas, mantivemos nosso cérebro base, reptiliano, instintivo e que gera o domínio das forças anímicas autônomas ativado e acessível. Apenas por isto, o Brasil é a Pátria do futuro... a capacidade de trabalhar com todos os corpos, a sincronia dos 3 cérebros, três qualidades diversas, fazem do povo que ainda tem acesso a seu instinto, e é capaz de somar sua capacidade de visualização, de inovar, de criar, de transmutar, o local apropriado que um novo modo de pensar e viver tenha seu berço. Negar nossa capacidade de sentir, de perceber as mensagens de nosso corpo, de comandar nossas forças anímicas, ao gerenciar nossos processos mentais é negar a possibilidade de evolução. No cérebro mais antigo estão todos os mecanismos de adaptação ao mundo exterior, desenvolvidos por todos os seres que vieram antes de nos, todo o conhecimento da funcionalidade do universo, ou seja, todo conhecimento primordial esta na área instintiva, que tendemos a negar pelo uso excessivo do foco mental. O Homem, caiu mais nesta armadilha, pois foi condicionado pela caça, ao foco, e acabou perdendo a sua interação com o meio ambiente...quando assume um objetivo, seu foco, não permite que perceba as alternativas, apenas percebe um único caminho, e em geral nem avalia se este rumo precisa de correção, para atingir o objetivo, para atingir o resultado esperado...apenas agem, sem se dar momentos de passividade e apreciar o ambiente, ou seja replanejar, se revitalizar, se inteirar de como esta a realidade...perde o chão da realidade porque só enxerga um ponto, sua ilusão de precisão...de concentração de energia... A mulher, porem, pelo que vivenciou nos séculos de submissão e teve que sobreviver às pressões do meio, cuidar e preservar a espécie, se manteve aberta ao instinto, e adquiriu um modo de viver mais instintivo, emocional, e detém o poder de mudar o meio ambiente, pois este é seu domínio, 360 graus de amplitude, mas tem sua energia distribuída, e como age através de pulsos, por isto sua inconstância, submissa que é ao ciclo lunar e das aguas, por seus processos hormonais, e com isto sua palavra perdeu o poder de verbo, ela se diluem em todo ambiente, age sobre ele, mas pela falta de posse se contamina por ele... Mas o Homem, que despertar em si sua anima, seu lado feminino, recuperar o contato com seu lado emocional, ativar o cérebro reptiliano, o instinto, a intuição, somara a sua capacidade de foco, o poder de mudar o ambiente. A mulher que ativar em si seu Animus, focado, poderá mudar o mundo... sua capacidade de pulsar, de sentir e vibrar em todo o ambiente, com o foco da intenção positiva, é a maior força que existe no planeta.... O verdadeiro casamento alquímico é a união interior do PODER do femininode criar e transmutar com a Qualidade do masculino de foco. Esta é uma das quebras de paradigmas necessários: Esta na mulher, no feminino interno o PODER da Criação e da destruição para a Transmutação (não pode haver transmutação sem antes algo ser destruído, pois exige o uso da primamater já disponível...). Esta no homem, no masculino interior, a qualidade de direcionar a ação, de dar foco... A Mulher tem o magnetismo dado por suas forças anímicas ainda ativadas, e o Homem representa a eletricidade, a energia vital para a ativação da prima mater. e a matéria só existe pelo eletromagnetismo, pelo principio da polaridade somado com o da vibração, do movimento (ritmo), que geram causa (foco+ poder de criação) e efeito (aglutinação da prima mater...). (Lembrando que poder mental, nada tem a ver com colecionar, ser acumulador de informações, uma compulsão a ser curada... como qualquer outro vicio...). Uma mente sem gerenciamento, que age apenas por condicionamento, vitima e reativa ao meio exterior, ira plasmar a prima mater pelo seu inconsciente, pelo material reprimido, e, portanto sem o mínimo controle, e será subjugado pela realidade... se torna escravo de seus próprios materiais mórbidos, seu poder negativado, que age com o comando contra seu próprio dono, ao mesmo tempo fonte do comando ( foco) como sua repercussão no ambiente. Este e o Ser sem livre arbítrio, que vive na inconsciência de seu SER, que tem sua realidade projetada com o comando de tornar todo material não integrado, disfuncional do inconsciente, se tornar consciente, para que o Ser use seu poder de Discernimento, para destruir a forma atual, para poder transmuta-la em algo mais adequado ao momento. Nossa cultura, que nega o que se sente, nos colocou submissos não a uma sociedade disfuncional, mas a nosso modo de vida interior caótico, sem dono, onde cada parte nossa atua como fragmentos com comandos distintos... uma empresa onde não há gerencia, onde cada um age apenas como acha certo, sem a visão do todo, da integridade.... Nosso Universo interno sem dono, sem alguém que de a diretriz origina uma vida caótica... precisamos gerar uma gerencia em nosso mundo interior... Para isto nossa capacidade de visualização, pode ser o melhor mecanismo desta autocorreção... Como o atleta que corrige o comando de um musculo determinado, pelo seu foco mental no mesmo, pela sensibilidade de perceber como ele atua dar-lhe novos comandos eletromagnéticos, e com isto gerar um novo condicionamento mais funcional, podemos fazer isto com nossa vida... Aos poucos, a consciência se torna gerente de todos os conteúdos inconscientes, pois eles deixam de ser autônomos e mórbidos (atacam seu “dono”), e aos poucos vão sendo aflorados e modificados na consciência onde mora o poder do discernimento, da escolha, e o poder de verbo: a partir deste momento a nova lei é... e se tornam funcionais, pois em um sistema onde existe um dirigente com poder de comando, todos obedecem a nova ordem...mas este diretor tem que se manter constante na ordem... Na mentalização, podemos ativar nossos estados referencia, aqueles que conhecemos, pois os vivenciamos, junto a momentos na Natureza, onde nossa Natureza, nossa essência foi ativada, onde a Presença da alma e do espirito se fizeram (minisamadhi), e deste estado, onde estamos centrados, integrados , positivados pela presença dos sensos da alma...(nossa essência ainda intocada pelos condicionamentos), nossa criança interior, leve, ousada, com amor pelo viver, que age no ambiente, plasmando uma vida boa...e pelo poder de direcionamento, de comando de ação no ponto do espirito...e neste campo, onde a realidade do mundo exterior deixa de existir, e o interior esta harmônico, a prima mater que podemos manipular, esta em seu estado primordial, plasmamos um novo modo de ser, uma nova vida...mas temos que CRER absolutamente no que plasmamos via mentalização...

Nenhum comentário:

Postar um comentário