Follow by Email

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Foco excessivo na realidade

Se você faz muitas coisas ao mesmo tempo, teu nome é de mulher. Se é focado em uma única coisa por vez, você deve ser Homem? O foco é uma das características que mais distinguem os dois sexos, pois na caça o homem foi adestrando o foco, e a mulher ao cuidar dos filhos e da casa, a multivalencia, a troca de foco em fração de segundos, automático, as vezes sem consciência....Mas na realidade nossa maior doença atual é em ambos os casos, o excesso de foco. Queremos algo, ou não o queremos em nossa vida e toda nossa energia é focada somente nisto, o que traz consequências... Se somos do tipo cientistas, todo o foco está na lógica, no que pode ser tocado e provado. Se somos emotivos, o foco está no que sentimos...se somos mais ligados ao corpo físico, tudo gira em torno da realização. Não fale sobre coisas intelectuais para alguém que ama malhar, fale sobre exercícios...E para prender a atenção de alguém que é intelectual, fale sobre teorias.... Mas o foco, seja onde ele estiver , fecha nossos canais de percepção, deixamos de "dar importância" a tudo a nosso redor que não seja ligado ao foco da atenção, nós nos limitamos, limitamos nossa realidade das infinitas possibilidades em uma só, o que nossos olhos físicos observam e pior, nós nos identificamos tanto com o foco da visão, que nós nos tornamos ele, e ele passa a ocupar 360 gruas de nosso entorno. Só percebemos o que damos importância, ou seja focamos.... Quer abrir sua "claripercepções”, seja ela clariaudiencia, clarividência, capacidade de psicografia, de ler objetos, que são as mais comuns? Mude seu foco de percepção pelo comando mental: Isto me tem importância, a partir de hoje...e não tenho mais medo do que perceberei, pois já tenho maturidade para lidar com este novo campo de percepção ( mas tenha a coragem de bancar esta abertura, porque senão o sistema de defesa da integridade não permitirá esta mudança de foco, se você não mudar de atitude...) E a Clarisensciencia? E a clariconsciencia, menos conhecidas? Na primeira, você se torna capaz de perceber pela leitura inconsciente, a nível de sombra, do que algo te transmite. Não vem com palavras, coisas que a mente é capaz de lidar, mas você tem “ a certeza” que sabe de algo sobre aquele objeto e pessoa. No trabalho de desenvolvimento da sensciencia: tomar ciência pela sensação, aos poucos a mente aprende a decodificar a energia “lida” e se forma imagens, palavras ( ai entram os demais canais de percepção), de forma que suba a consciência e a percepção confrontada com a realidade está muito próxima, variando apenas na decodificação...os ajustes vão sendo feitos com o exercício, e aos poucos se abre a clariconsciencia, onde além de fazer a leitura, se tem a lucidez daquilo que se percebe, e se confia no que é trazido na decodificação mental.... Algumas pessoas a abrem em algum momento de expansão da consciência, e a mantem abertas, mas a maioria pode abrir todas habilidades ligadas a sensibilidade, pelo treino, pela exposição, onde a mente aprende aos poucos a ler as energias extrafísicas, que estão fora de nosso foco de percepção comum, limitante, e conforme formos de confiança do sistema de defesa da integridade, mostrarmos a ele a capacidade de lidar de forma positiva com as novas percepções, com a abertura de consciência, com o aumento da sensibilidade, da capacidade e Poder de percepção, de que sabemos expandir e contrair nossos sensos conforme o ambiente, ou seja, que somos de confiança e não iremos nos fragmentar pelo contato com novas realidades, aos poucos abriremos o sexto sentido, de forma que é mais libertador para cada caso. Alguns ao abrirem primeiro a clarividência, e também clariaudiencia, se tornam escravos dos mesmos canais de percepção de realidade que usam e dão prioridade no mundo físico, e isto lhes causa um novo fechamento de foco...tem mais dificuldade de abrir a clarisensciencia, e clariconsciencia pois tem em si um comando: apenas o que vejo e ouço tem realidade, e treinando menos o sentir, pois na vida diária , para manter a adaptação de vida entre 2 realidades, precisam manter os canais sob restrito controle...e ao fechar a sensibilidade , se fecham a clariconsciencia...mesmo porque a mesma, em uma pessoa não moralmente ética, julgadora é um ato de invasão que gera consequências, pela lei da causa e efeito... Parece que existe um bloqueio “frequencial” para poder-se ler as demais energias, seja no ambiente, ou em pessoas, dada pelo princípio da vibração, da frequência...se estamos negativado, iremos perceber o que focamos no mundo, sua negatividade e esta irá, com certeza nós fragmentar, e nosso filtro da realidade for o falso ego, com seu orgulho protegendo a persona com a qual nos identificamos, pois iremos somar com energias que nós afastam de nossa verdadeira essência, que é pura, compassiva...Apenas quando estamos positivados a nosso respeito, com o olhar de compaixão ao mundo externo, percebendo a tudo, como sendo a expressão daquilo que cada um consegue ser naquele momento, mas que nem de longe é o que o ser é em essência, será útil a abertura destes canais de percepção, e eles não serão usados de forma involutiva a que os tem, nem ao meio.... Nosso sistema de integridade seja a nível de ego( persona), seja a nível de espirito, ou mesmo de centelha, irão bloquear todas as habilidades que ainda não tenhamos maturidade para utilizar de forma evolutiva.... Então não questione porque algumas pessoas tem certos “dons” e outras não, pois por traz da auto permissão delas se manifestarem está a autorização do nosso Sistema imunológico, de integridade pessoais, ou seja de nosso “guardião” interno, que abre e fecha portas...de acordo com nossa maturidade, capacidade de lidar com as coisas com consciência, de discernir e arbitrar de forma positiva.... Se não estão abertas, existe um exercício a ser feito: o de amadurecer...pois o Sistema de Integridade não obedece ao nosso livre-arbítrio, seu comando é superior, ele obedece ao instinto de manutenção da vida...e é ótimo que assim seja, pois com nossos desmandos mentais e emocionais, já teríamos nos matado a muito tempo, por sairmos totalmente de nossa natureza... Como crianças em um play ground, nós é permitido brincar, mas nunca nós será dado fogo e fósforos ao mesmo tempo, pois provavelmente iremos “aprontar”, pela falta de consciência no uso das ferramentas a nós cedidas...A Clarisenciencia, a clariconsciencia, e mesmo as mais comuns, requerem amadurecimento do Ser em sua Verdadeira Essência, para serem “liberados” para uso.... E enquanto nosso foco for apenas a realidade que a persona percebe, limitada pelo campo visual do corpo físico, do que se ouve ou toca com a pele, nossa consciência será a de uma bolinha de gude, e dentro dela iremos pular de ponto em ponto, mas limitados pela “membrana” que fornece a individualidade da bolinha. Mas se queremos amplificar a consciência de realidade, teremos que sair da zona de conforto, e buscar que nosso sistema de integridade vá permeando a membrana que nos separa do exterior...e ai , mudando o foco da percepção, vendo coisas além como possibilidades, desidentificando do status quo da persona, podemos ter uma mini iluminação, uma fresta da clariconsciencia, e aprendermos a viver em uma esfera consciencial, de talvez, uma bolinha de tênis, e ao nós nos sentirmos seguros e tendo vivenciado o que está esfera nos oferece sem nos fragmentar e nós perdermos de nós mesmos, novamente poderemos romper nova membrana, desta vez para algo um pouco maior...e ai a clarisenciencia/ clariconsciencia ( lucidez no que se sente) nos permite a mobilidade de foco, podemos focar momentaneamente mais coisas, mas em multiplicidade, voltando a ter a habilidade inerente do feminino, multifoco, sabe onde está o filho, o que ele faz, mesmo longe do olhar, das coisas da casa, do trabalho, tudo ao mesmo tempo....

Nenhum comentário:

Postar um comentário